Fortalecimento da organização social para o manejo florestal é tema de oficina em Lábrea (AM)

0

Associações, cooperativas e empreendimentos comunitários são alguns dos exemplos de entidades de organização social que funcionam por meio da gestão compartilhada e colaborativa. O Instituto Floresta Tropical (IFT) apoia populações tradicionais que utilizam alguma dessas modalidades para desenvolver seus territórios e garantir qualidade de vida. Entre elas estão a Associação dos Produtores Agroextrativistas da Assembleia de Deus do Rio Ituxi (Apadrit), a Cooperativa dos Produtores Agroextrativistas do Ituxi (Coopagri) e o Empreendimento Angelim.

As três organizações são formadas por comunitários que habitam a Reserva Extrativista (Resex) Ituxi, localizada em Lábrea, região sul do estado do Amazonas. Desde 2015 o manejo florestal sustentável é uma realidade por lá. Mas para que fosse efetivado foram necessárias diversas etapas que incluíam treinamento e capacitação para a gestão do negócio florestal. A participação do IFT nesta etapa foi fundamental. Por meio de consultoria especializada em associativismo e cooperativismo foi possível desenvolver um modelo de gestão que está sendo aplicado no âmbito da associação, da cooperativa e do empreendimento.20160824_172556-1024x567 Como parte das atividades de fortalecimento das organizações o IFT realizou em Lábrea (AM), nos dias 23, 24 e 25 de agosto, o módulo II do Treinamento sobre Aspectos Contábeis e Fiscais de Cooperativa. De acordo com Maria Antônia Nascimento, consultora especialista em organizações do terceiro setor, o objetivo da atividade foi o fortalecimento da gestão da Coopagri por meio do diálogo sobre cooperativismo, aspectos contábeis e fiscais para os membros da diretoria e conselheiros fiscais, além dos sócios. O material apresentado reúne um conjunto de normas e procedimentos a serem observados pela diretoria e pelo conselho fiscal da cooperativa.

“A expectativa é que as lideranças possam adquirir conhecimentos para efetuar a gestão da cooperativa de forma eficiente, cumprindo com as normas e procedimentos legais vigentes, principalmente a lei do cooperativismo e a legislação contábil, fiscal e administrativas. Esperamos, também, que eles repliquem e socializem o que foi aprendido nas comunidades para os sócios da cooperativa”, explicou Maria Antônia. Entre os tópicos apresentados estão a movimentação bancária das entidades (algumas dicas úteis) e as noções gerais sobre questões tributárias, previdenciárias e fiscais.

20160825_092930-1024x545

Além da diretoria, sócios da Coopagri também participaram da atividade. Maria Antônia avalia que a presença de sócios contribui para a compreensão da missão e dos valores de uma cooperativa. “A participação dos dois manejadores foi muito proveitosa porque eles começaram a entender que não podem fazer as coisas do jeito deles e, principalmente, sem conversar e atender as solicitações da diretoria. Deixamos claro que tudo que solicitamos que seja feito não é para atender as exigências da diretoria e, sim, exigências legais. Em caso de descumprimento dessas exigências a cooperativa poderá ser multada em valores altíssimo e esse valor sairá do bolso dos próprios sócios”, finalizou a consultora.

A próxima atividade do IFT na Resex Ituxi deve ocorrer no mês de novembro. Além da continuação das oficinas sobre cooperativismo, dessa vez com foco na atuação dos sócios, será realizada a oficina de comunicação organizacional, ministrada pelo jornalista Elias Santos. As atividades são realizadas em parceria com o Fundo Vale.

Share.

Deixar um comentário