Bem vindo: contato@ift.org.br | (91) 3202-8300

Notícias

CMFRB recebe estudantes da UFRA durante curso GE

CMFRB recebe estudantes da UFRA durante curso GE

Referência em capacitação técnica em exploração florestal de impacto reduzido, o Centro de Manejo Florestal Roberto Bauch (CMFRB), do Instituto Floresta Tropical (IFT), encerrou as atividades do ano de 2014 com a realização do curso Gerenciamento da Extração no Manejo Florestal (GE), finalizado no dia 20 de dezembro. Os participantes, todos alunos do curso de Engenharia Florestal da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), aprenderam na prática as técnicas disseminadas pela instituição em 20 anos de pesquisa e aperfeiçoamento.

DSC_2952 (800x530)

A turma, formada por 20 alunos concluintes do oitavo semestre, enfrentou trilhas sem reclamar dentro da floresta e uma carga horária de atividades extensas. “O cansaço faz parte desse tipo de aprendizado. Viemos pra cá porque sabíamos que a prática seria o foco do curso”, contou Marcos Victor da Conceição Paixão, 20 anos.

O estudante explica que soube do curso por meio de outros alunos da universidade. “A estrutura e o trabalho desenvolvido pelo IFT é conhecido no curso (Engenharia Florestal), muita gente me falava que basicamente tudo que eu via na universidade eu ia ver na prática aqui no IFT”, lembrou o rapaz.

DSC_2200 (800x530) (800x530)

Na avaliação de Marcos a excelência do curso se dá, principalmente, pela qualificação técnica dos instrutores e coordenadores. “São todos muito capacitados para repassar conhecimento. Se eu for trabalhar nessa área eu vou tentar aplicar essas técnicas”, comentou Marcos. Agora, o rapaz pretende olhar com mais cautela para o mercado florestal e contribuir para que empresas que comercializam madeira implantem a exploração de impacto reduzido. “Vou apresentar todas as características desse processo e acho possível convencer o empresário a utilizá-la, afinal ele vai ver que é muito mais lucrativo adotando um bom planejamento das operações ”.

DSC_2972 (800x530)

Quem estava empolgada com a quantidade de atividades na floresta era a estudante Tamires Raiane Damasceno Ribeiro, 22 anos. “Fiquei sabendo do curso do IFT há dois anos. Estagiava na Sema (Secretaria de Estado de Meio Ambiente) e conheci uma engenheira que tinha formado há algum tempo e me falou muito bem do Centro de Manejo. A minha expectativa era ver a parte prática, já tinha visto a colheita de floresta plantada e me impactou muito, pra cá eu queria ver outro tipo de exploração”, explicou.

DSC_2398 (800x530)

Segundo ela, na universidade as atividades são voltadas sobretudo para pesquisa, com pouco foco no mercado. “O curso abre a visão em relação ao mercado e vê o quanto é importante cada detalhe para ser um profissional lá fora, as vezes temos a teoria e não somos treinados para instruir nossa equipe”, argumenta. Tamires andou na floresta, aprendeu bastante sobre equipamentos utilizados no manejo, tais como a motosserra, além de ter se familiarizado com a identificação de espécies nativas. “Foi um aprendizado único”, comemorou.

Balanço

Em 2014 o IFT realizou 11 cursos no Centro de Manejo Florestal Roberto Bauch, identificados como cursos In Situ, e outros 12 cursos Ex Situ, realizados fora do CMFRB. No total, as atividades desenvolvidas pelo IFT atingiram cerca de 323 participantes. O ano 2014 foi atípico para a instituição, uma vez que cessaram alguns subsídios importantes para a realização de cursos in situ. No entanto, a demanda por cursos continua crescente e muitos participantes têm se esforçado para participar dos cursos abertos (oferecidos pelo IFT) e cursos fechados (contratados pelo público interessado). “Por mais que, o tema Exploração de Impacto Reduzido seja algo de conhecimento acessível, fruto de 18 anos de disseminação pelo IFT; ainda há por parte do público, o interesse para ver e praticar as etapas e atividades que compreendem um manejo sustentável, e esse conjunto de atividades é possível de demonstrar no nosso Centro de Manejo Florestal Roberto Bauch”, avalia Iran Paz Pires, gerente operacional do IFT.

Deixar comentário