Edital Ecoforte Extrativismo fortalece ações na Resex Ituxi, em Lábrea (AM) | IFT
Bem vindo: contato@ift.org.br | (91) 3202-8300

Notícias

Edital Ecoforte Extrativismo fortalece ações na Resex Ituxi, em Lábrea (AM)

A Associação dos Produtores Agroextrativistas da Assembleia de Deus do Rio Ituxi (Apadrit) foi contemplada pela segunda vez com recursos do edital de Seleção Pública ECOFORTE – Extrativismo da Fundação Banco do Brasil (FBB) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Com o subsídio, a entidade vai adquirir insumos, equipamentos e maquinário necessários para melhoria do sistema logístico para o escoamento da Castanha-do-Brasil das áreas de castanhais da Reserva Extrativista (Resex) Ituxi, localizada em Lábrea, município da região sul do Amazonas.

O Ecoforte tem o objetivo de fortalecer as redes de agroextrativismo e produção agroecológica e orgânica, com foco em produtores familiares, extrativistas, povos e comunidades tradicionais, dando ênfase na inclusão das mulheres e jovens. O edital apoia a estruturação de empreendimentos coletivos, para qualificar e promover a comercialização da produção extrativista no bioma Amazônia. A iniciativa compõe o Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica, o Brasil Agroecológico.

Esta é a segunda vez que os produtores agroextrativistas de Ituxi acessam recursos do edital Ecorforte. Em 2015, o manejo florestal madeireiro realizado pelo Empreendimento Angelim, administrado pelos próprios moradores da Resex, contraiu recursos que possibilitaram a efetivação da atividade de manejo florestal comunitário. Nas duas oportunidades o Instituto Floresta Tropical (IFT) assumiu papel de apoiador na concepção da proposta e atuou como gestora do recurso após ser escolhida pela Apadrit em decisão coletiva.

O Ecoforte II tem como objetivo otimizar o transporte da castanha-do-brasil na Resex Ituxi, possibilitando aumento da produção e melhoria das condições de saúde e segurança dos castanheiros. De acordo com a proposta aprovada, a associação pretende melhorar as condições de trabalho para o escoamento da produção dos castanhais da Reserva, por meio da viabilização da logística para assegurar condições adequadas de armazenamento da castanha até o transporte final e melhorar a comunicação entre os produtores.

O projeto prevê, também, o mapeamento dos castanhais e planejamento das instalações de infraestrutura; limpeza e manutenção de igarapés e varadouros; construção de paióis; instalação de radiofonias; e aquisição de meios de transporte fluvial e terrestre. A gestão de equipamentos será definida pelo coletivo de extrativistas da castanha juntamente com a APADRIT e a Cooperativa dos produtores Agroextrativistas da Resex Ituxi (Coopagri).

O projeto atenderá diretamente cerca de 100 castanheiros, residentes e usuários da Resex Ituxi. Estas famílias são compostas, em média, por 6 membros. Com isso, o projeto poderá atingir 600 pessoas. O projeto propõe-se, ainda, em realizar cursos para operação e manutenção de máquinas (motores gasolina e diesel), para garantir o bom funcionamento dos equipamentos adquiridos pelo projeto. Essa capacitação será direcionada ao público jovem.

APADRIT

Associação civil sem fins lucrativos, sem cunho político ou partidário, criada no ano de 1997, com sede na Comunidade Vila Vitória, no interior da RESEX Ituxi e com atuação em toda Unidade de Conservação (UC). É composta por moradores da Reserva que têm em comum a produção de produtos agrícolas e florestais, e o objetivo institucional é ajudar no processo de desenvolvimento dos moradores da região, de forma coletiva, respeitando o meio ambiente e promovendo a melhoria da qualidade de vidada população local.

Desde a criação, a associação trabalha em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio); o Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS); a Comissão Pastoral da Terra (CPT); órgãos ambientais e de assistência técnica e extensão rural como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (IDAM), o Instituto Federal do Amazonas- campus Lábrea (IFAM); a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA), assim como organizações não governamentais, como o Instituto Floresta Tropical (IFT), Instituto de Educação do Brasil (IEB), Word Wild Found for Nature (WWF).

Deixar comentário